Uma mão cheia de transformações.

Ferramenta on-the-go para um ano novo mais calmo e consciente.

 

Dia 4 de janeiro de 2022, estamos na primeira semana do ano, em pleno rescaldo do Natal e do Ano Novo.

As últimas semanas foram marcadas por convívios familiares e festas, mas também, em muitos casos, por quarentenas ou isolamentos profiláticos fruto desta pandemia que não nos larga… dias em que a calma e a felicidade associadas à época andam muitas vezes a par e passo com alguma angústia ou ansiedade.

Seja como for, acreditamos que todos os dias são uma nova oportunidade de recomeço e, a entrada num novo ano reforça esse apelo interno, bem como a motivação para adoptarmos estilos de vida mais saudáveis, seja ao nível da alimentação, exercício físico, ou descanso.

Sabemos também que o dia-a-dia muitas vezes nos absorve numa rotina de piloto automático, muito permeável ao stress e velocidade do ambiente que nos rodeia, o que nos deixa frequentemente insatisfeitos, desfocados.

Se não estivermos atentos a isto, facilmente,  acabamos por nos desviar do que nos faz sentir felizes, calmos e realizados.

Uma coisa é certa, controlar o ambiente à nossa volta será muitas vezes uma luta inglória (se não sempre).

 

Cada vez mais acreditamos que muitas das vezes não são as situações em si que nos poderão fazer sentir melhor ou pior, mas sim a intensidade com que as vivemos.

Sobre isto, a nossa resposta é: melhorar o nível de consciência.

 

Por isso mesmo, para o primeiro artigo deste ano escolhemos partilhar convosco a meditação/ respiração dos 5 dedos, acessível a miúdos, graúdos, bem como a todos aqueles que acham não conseguir meditar.

 

Acreditamos ser uma “ferramenta de bolso” perfeita para levar on-the-go, fácil de incluir no seu dia-a-dia, e não requer qualquer logística associada.

Basta dar-se a si 5 ou 10 minutos quando mais precisa e seguir este passo-a-passo:

Meditação/ Respiração dos 5 dedos.

  1. Escolha uma das suas mãos e abra-a, esticando-a de forma a criar espaço entre os dedos;
  2. Estique o dedo indicador da mão oposta e coloque-o, suavemente em contacto com a base do polegar, na mão aberta;
  3. Deslize agora o seu dedo indicador pelo polegar, no sentido ascendente, à medida que inspira calmamente pelo nariz;
  4. Quando o seu dedo indicador chegar ao topo do seu polegar, deslize-o agora no sentido descendente, em direção ao espaço ente o polegar e o indicador da mão aberta, desta vez expirando pausada e completamente;
  5. Continue este movimento, com a mesma cadência de respiração ao longo dos restantes dedos da sua mão;
  6. Quando chegar ao dedo mindinho, tente aperceber-se de como se sente. Mais calmo, mais focado, mais atento? Continue o movimento as vezes que forem necessárias para si, naquele momento.

Se sentir necessidade de visualizar o movimento aqui descrito, poderá fazê-lo neste video, simples e prático, disponibilizado pelo New York Times.

De agora em diante, sempre que começar a sentir uma onda de falta de foco, ansiedade ou stress a invadir o seu corpo e a sua mente, experimente fazer este exercício.

Poderá também contar connosco para o acompanhar. O primeiro passo será fazer uma avaliação gratuita, que nos permitirá delinear um programa à medida dos seus objectivos e da sua melhor versão.

O mais importante é termos as ferramentas necessárias para pôr em prática as resoluções pessoais a que nos propomos.

Enjoy!

Live Wisely | Think Wisely | Move Wisely – Juntos na sua melhor versão

Partilhar em

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Que fome é esta? 5 perguntas que o vão ajudar a perceber se a sua fome é emocional ou fisiológica?

QUE FOME É ESTA?

QUE FOME É ESTA?   Na semana passada falámos sobre as características que diferenciam a fome fisiológica e a fome emocional. Ainda assim, numa fase

Ler Mais »
Fome ou Vontade de comer? Saiba como distinguir a fome fisiológica da fome emocional.

FOME OU VONTADE DE COMER?

FOME OU VONTADE DE COMER? Conheça as diferenças entre a fome emocional e a fome fisiológica. Conhece aquela sensação de apetite súbito que nos faz

Ler Mais »
Devo correr sozinho ou acompanhado?

CORRER SOZINHO OU ACOMPANHADO?

CORRER SOZINHO OU ACOMPANHADO?   Pois é, correr sozinho ou acompanhado? Aqui está uma questão que já passou pela cabeça de todos os corredores, que

Ler Mais »